quinta-feira, 14 de janeiro de 2010

Um raro sentido de inoportunidade

“Existem males maiores do que os que esses pobres do Haiti estão a sofrer estes dias”. Quem o diz é o bispo de San Sebastian, José Ignacio Munilla, que julga que “também deveríamos chorar por nós, pela nossa pobre situação espiritual, pela nossa concepção materialista de vida”. Numa entrevista concedida à Cadena SER, que pode ser escutada aqui, as bizarras afirmações prosseguiram com o bispo a afirmar: “Quiçá é um mal maior o que nós estamos padecendo do que aquele que esses inocentes também estão sofrendo”.
Não é preciso ter lido Carlo M. Cipolla, por exemplo, para perceber o quão as afirmações do bispo representam um eloquente exemplo de estupidez humana.

3 comentários:

Stefano disse...

PS: Esse elemento se esquece que morreram padres e outros irmãos de fé

http://www1.folha.uol.com.br/folha/mundo/ult94u678808.shtml
http://www1.folha.uol.com.br/folha/brasil/ult96u678989.shtml

Anónimo disse...

Ao obispo José Ignacio Munilla quiero decir, como cristiano y católico que soy, que lamento profundamente sus declaraciones a propósito de Haiti; son declaraciones que insultan a Jesucristo, pues la pobre gente de Haiti sufre la Pasión que Jesucristo ha sofrido. Es lamentable que este señor hable en nombre de la iglesia de Jesucristo, que ha tenido toda la misericordia para todos los que sufrian. Son personas como este obispo que hacen que cada dia haya mas gente a quien no le gusta la Iglesia, porque esta (estas personas) se preocupa(n) más con reglas morales y proibiciones, que con hacer felices las personas, creadas a la imagen y semejanza de Dios. Rezo por usted, obispo Munilla, para que se convierta a Jesus.

Alexandre Soares

(esperando que el message sea entregue ao obispo)

Pedro Lopes disse...

Não temais aqueles que matam o corpo, mas não podem matar a alma; temei antes aquele que pode precipitar a alma e o corpo na geena. (Mateus 10,28)

D. José Ignacio Munilla tem razão. E muita. Pena que tão poucos vejam isso.

Pedro Lopes