sábado, 17 de outubro de 2009

Mário Mota Marques, memória de um homem bom

Mário Mota Marques morreu esta quinta-feira. Quem o conheceu, sabe que era um homem bom. Provavelmente bastará dizer isso acerca de alguém para dizer tudo e lhe prestar uma grande homenagem. Mas no povo de bahá há várias memórias em vídeo e em texto para quem quiser saber mais sobre aquele que, até há pouco tempo, era o responsável pela informação da Comunidade Bahá'í de Portugal.

O funeral foi este sábado. Vários responsáveis de diferentes comunidades religiosas estiveram presentes no velório e na despedida de Mário Mota Marques, recordando o seu grande empenhamento no diálogo inter-religioso e na promoção de um clima de paz entre as pessoas e as religiões.

Na escritura Bahá'í para a ocasião do martírio do Báb, lê-se: "Durante todos os dias de Tua vida estiveste imerso num oceano de angústias (...). No entanto, a despeito de tudo isso, exortaste todos os homens a obervarem o que Te fora prescrito por Aquele que é o Omnisciente, a Suprema Sabedoria..."

3 comentários:

tina disse...

Caro António Marujo,

As suas palavras sobre o Mário tocaram-me profundamente, por ser precisamente aquilo que sinto.

Ao voltar hoje do seu funeral, só me vinha a imagem de uma estrela cadente. O Mário foi uma estrela cadente. Ao longo de uma vida espargiu o seu brilho por todos, seguiu em frente a grande velocidade, firme e resoluto, e chegou à sua morada final cheio de glória.

Deixa um misto de tristeza e saudade aos que cá ficamos, mas também felicidade e orgulho por ter a honra de tê-lo tido como amigo. Por saber que partiu de mão cheia... e que o pássaro da sua alma partiu da gaiola deste mundo e voa livremente.

Tina Sanai

Marques disse...

Caro António Marujo,

Obrigado pelas suas palavras.

Para além de tudo, era também o meu Pai, de quem já muito me orgulhava. E se tal é possível, em cada dia que passa esse orgulho cresce ainda mais.

Gostei muito de o conhecer.

Um grande abraço,

Nuno Mota Marques

Sofia Fernandes disse...

Muito me custou saber hoje desta notícia. Era um Homem fantástico, activo e empenhado, com quem trabalhava na campanha "Pela Diversidade. Contra a Discriminação". À família deste senhor, apresento a minha homenagem.

Sofia Fernandes