terça-feira, 7 de janeiro de 2014

Grande jornal dos EUA vai investir na cobertura do catolicismo
... e para isso contrata peso-pesado dos vaticanistas

O prestigiado vaticanista John Allen, jornalista do norte-americano National Catholic Reporter e autor de vários livros sobre o Vaticano, vai passar-se para a equipa do jornal The Boston Globe já a partir do próximo mês, segundo notícia hoje difundida. A contratação visa reforçar o investimento na cobertura do catolicismo e do Vaticano, que aquele diário pretende fazer.
Mais concretamente,  Allen, além de continuar a cobrir os assuntos do Vaticano, será um analista especialmente atento às dinâmicas e acontecimentos do mundo católico e ajudará os responsáveis do prestigiado jornal do Massachusetts a preparar o lançamento de uma publicação autónoma dedicado ao catolicismo.
A aquisição explica-se porque, nas palavras do director do Globe, Brian McGrory, "há um ressurgimento do interesse global na Igreja Católica, inspirado pelas palavras e ações do líder recém-instalado, o Papa Francisco". 
McGregory fez notar que este investimento editorial no universo católico não significa de modo nenhum que o jornal irá reduzir a atenção à cobertura de outras religiões.
The Boston Globe é considerado um jornal de grande prestígio nos Estados Unidos da América, com mais de duas dezenas de prémios Pulitzer no seu palmarés. 
Agradecendo o contributo do seu ainda jornalista, o diretor do National Catholic Reporter escreve hoje, no site da publicação:
"John e eu concordamos que a Igreja Católica é assunto do maior interesse jornalístico. Concordamos também que quanto mais meios de comunicação proporcionarem uma cobertura rigorosa e equilibrada da Igreja isso só pode potenciar os esforços de todos nós".

Ler, sobre este assunto:
-  Boston Globe Hires Journalist to Focus on Catholicism
-  What can we say? Boston Globe hires John L. Allen, Jr.
(Foto: retirada da página de John L. Allen Jr no Twitter)


Comentário breve:

Que pensarão os responsáveis dos media portugueses sobre o interesse jornalístico dos assuntos e acontecimentos relacionados com as religiões, as Igrejas, em particular a Católica? Aparentemente entendem, ao contrário dos seus colegas norte-americanos, citados na notícia deste post, que este é um assunto menor, no qual não vale a pena investir.
Para citar um exemplo, que julgo ser bem revelador: como compreender que um jornal como o Público despeça um dos mais reconhecidos jornalistas especializados em assuntos religiosos, internacionalmente premiado, precisamente no ano, e quase no mês, em que a Igreja Católica iniciou uma nova etapa da sua existência na contemporaneidade, desencadeada pela eleição do Papa Francisco, que não tem parado de surpreender e provocar acontecimento?
Eis uma dimensão que talvez dê a sua achega para a compreensão da atual crise em que o jornalismo se debate. (MP)

2 comentários:

Lucy disse...

completamente de acordo

Sérgio Almeida disse...

Caro Manuel Pinto,

Obrigado pela notícia. Principalmente pela observação que fez sobre o Público e a comunicação social portuguesa em geral.
É assim, mas a vida tem desta coisas: a ironia de despedirem um excelente jornalista na área e pouco depois "aparece-nos" um Papa assim.
Que aprendam se quiserem. Infelizmente estamos num país de vistas muitas curtas.

Abraço

Sérgio Almeida