sexta-feira, 15 de maio de 2009

Papa pede “não mais terrorismo, não mais guerra”

O Papa Bento XVI está de regresso a Roma, depois de oito dias na Jordânia, Territórios Palestinianos e Israel. Na despedida, o Papa deixou “um apelo a todos os povos destas terras: Não mais o banho de sangue! Não mais confrontos! Não mais terrorismo! Não mais guerra! Em vez disso, vamos quebrar o círculo vicioso da violência.”

De manhã, Bento XVI tinha ido ao Santo Sepulcro, onde a tradição cristã situa a crucificação e morte de Jesus e onde diferentes igrejas coexistem, nem sempre de forma pacífica, em diferentes capelas e igrejas - razão porque o Papa se referiu à “vergonha das divisões” dos cristãos.

Estes oito dias poderão ter sido muito importantes, mesmo se deixaram atrás de si, descontentes, alguns sectores judaicos - e, porque não dizê-lo, também os palestinianos radicais que não gostaram de ver o Papa condenar o terrorismo tal como o fez. A mensagem final de Bento XVI é uma boa síntese desta viagem e dos problemas que o Papa levantou ao longo destes dias. Sobretudo quando apela a quebrar o "círculo vicioso da violência". O passado está demasiado presente em todas as discussões sobre o tema. Só escolhendo firmemente o rompimento com essa lógica de ataque e contra-ataque, como o Papa também disse, é que poderá haver um futuro para os povos da região - com israelitas e palestinianos em primeiro lugar.

1 comentário:

Sérgio B. Gomes disse...

Foi um belíssimo trabalho António. Parabéns. Abraço